Primeira “Balada”

domingo, 28 de março de 2010

Ontem, sexta-sábado, estava eu na entrada do que seria a primeira balada da minha vida esperando um amigo chegar para faze-ló companhia ao entrar, e o mesmo me faria companhia durante toda a noite. Enfatizando que na teoria era pra ser um aniversário de dezesseis anos de uma riquinha, que provavelmente não fez aniversário de quinze e quis esbanjar nesse, e não uma balada na qual nunca iria se não fosse o convite disfarçado de aniversário. Mas já era para se desconfiar pelo aniversário acontecer numa boate – que desconhecia – e no convite conter uma pulseirinha tipo aquelas de balneários. 

A aniversariante, uma ex-estudante do colégio, muito amiga do amigo que me acompanhou nesta empreitada, talvez por isso o convite, não consigo achar outro motivo para, já que as conversas sempre eram por intermédio dele.

Na entrada, três loiras recepcionando, duas sorrindo, claramente eram forçados, e a outra a aniversariante que estava vestida estupidamente infantil, sabe quando sua mãe coloca uma roupa estilo XUXA-PAQUITA no aniversário de quatro anos? Mas pior que isso, O QUE PASSA NA CABEÇA DESSAS PESSOAS QUE ACHAM QUE ESSAS ROUPAS DE PRINCESINHAS SÃO BONITAS?
Falei com a princesinha dando os parabéns e o presente, entrando em um ambiente estranho, totalmente acanhado cumprimentando os conhecidos avulsos – teve uma que ficou encanada/me achando idiota por ter cumprimentado-a perguntando por outra pessoa -, e finalmente encontrar um lugar para sentar, que eram poucos, e ficar vendo as COCOTAS DANÇAREM bebendo coca-cola, a boate oferecia bebidas alcoólicas para qualquer um ali – e nem continuarei a falar sobre isto pra não encher o saco.

 
Sem graça, mas a realidade 


Aí que você – único leitor – com câncer nos testículos perguntará “por que não saíste da tal balada?”  Simples, por dois motivos: Meu amigo que estava interessado em uma cocota, e queria meu “apoio”; E pela ruivinha do bar, que deveria está rindo mentalmente pela situação de ir somente para pegar refrigerante e tal.

Já no meio da festa teve o clássico parabéns, porque né apesar de ser uma baladinha ainda tinha aquela burguesinha fazendo aniversário, e enquanto… todos cantavam aquela musiquinha parabéns pra você parabéns pra você pelo seu aniversário… ao redor de um bolo de quatro andares… FOGOS DE ARTIFÍCIO MANOLO essa é pra quem ainda não acreditava no aniversário era realmente de riquinha, tipo 5min de fogos contínuos para acordarem a vizinhança do prédio ao lado, só faltou a moçoila ganhar um carro pra me sentir num daqueles programas gringos.
Voltando para baladinha, bundas e mais bundas rebolando se insinuando pros machos com suas correntinhas no pescoço, ou na boca as mordendo, o que me faz pensar: MORDER ALGO DE FERRO, aham, tudo em pró da sensualidade…. oh wait.

E as músicas? tive que agüentar – FODA-SE AINDA POSSO ESCREVER COM TREMA FLW - a tortura sonora que foi ouvir músicas do Cold Play e Red Hot Chili Peepers remixadas com o som estrondeante, poderia ser ouvido de outro cosmo fazendo você ter que gritar para conversar, a única coisa que fiz ali além de comer, e consequentemente saí de lá rouco e com a garganta doendo.
Essas baladas não são para mim, nem com as cocotas vale a pena.

Leia Mais…

Horas antes

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Daqui há algumas horas estarei a caminho do colégio, no primeiro dia de aula do ano, e assim acabando minhas férias oficialmente, estranhamente não estou ansioso, sempre ficava ansioso para o primeiro dia de aula talvez por ser no mesmo colégio não esteja tanto quanto anos atrás – é “tradição” mudar de colégio constantemente.

Chegarei lá e encontrarei meus dois amigos do ano passado, e depois ver a sala em que ficarei, dai avaliar as cocotas novatas, na verdade avaliar as pessoas acho que é o que mais faço no primeiro dia de aula, previamente perceber com quem eu supostamente me “darei” bem e com quem não, e já perceber aqueles grupinhos que irão se formar.

Não sei o porquê de tanta gente odiar o primeiro dia de aula, pra mim é um dos mais legais porque “tudo é novo” e você fugirá das férias monótonas – é o meu caso, apenas – Tá bom que é uma chatice escrever sempre a mesma coisa todo o ano na clássica redação “ESCREVA AQUI O QUE VOCÊ FEZ NAS FÉRIAS, NEM VOU LER RSRSRS, É SÓ PRA FODER A VIDA DE VOCÊS RSRSRS” que sua professora de português/redação pede para fazer, e você agora tem que lutar com sua imaginação e inventar alguma estória supimpa sobre suas férias só para enrolar e conseguir escrever algo, pois ela não aceitará "Quando não estava dormindo, estava no computador.” btw, ainda gosto do primeiro dia de aula e vou dormir para ir, tchau.

PS: Post visivelmente escroto e pseudo-cult.

Leia Mais…

Professores, como escapar deles.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Sabemos que a situação dos professores no brasil não deve ser fácil, ter de aturar moleques que não o respeita (tá isso depende muito)  e também o denigrem, não vou ser hipócrita de dizer que nunca fiz alguma piadinha ou dei apelido para os meus professores, já fiz e muito, mas há geralmente professores que conseguem a “moral” dominando a sala mas com aquele rancor de saber que os alunos não o respeitam de verdade.
Esse foi eu dissimulando o assunto, simplesmente iria escrever “algumas dicas” de como sair da sala na aula de um professor puta chato desses, que nunca deixa o aluno sair para o banheiro e afins.
Professora dos Sonhos
                       Todas as professoras deveriam ser assim
Minhas professores nunca são das mais amigáveis, mas tive uma professora na sexta-série que simplesmente me odiava, ou no mínimo aparentava, qualquer tentativa de sair para o banheiro, que pouco peço para ir mas se pedisse, previamente já sabia a reprovação dela.
Meu colega vendo a situação fez uma desafio “Duvido amanhã pedir para ir ao banheiro na aula dela” ok besta, mas me empolguei então decidi em uma opção levar um remédio e dizer que tinha hora para tomar o remédio, e simplesmente a mulher cedeu, desde então acho esse jeito mais eficaz mas se nem isso funcionar com o seu professor cistocelento, então aqui vai a listinha:

1- Faça força, fique com a cara avermelhada, diga que tem de ir urgentemente ao banheiro.
2- Leve ketchup, coloque na boca ou no nariz (onde não poderão ver se há feridas)
3- Diga que esqueceu o livro da matéria na escola no dia anterior e que irá buscar (raramente funciona)
4- Ameace de mijar no cesto de lixo.
5- Leve uma arma de brinquedo, é.

E se mesmo assim, não funcionar, troque de colégio.

Leia Mais…

Meu ano novo

sábado, 9 de janeiro de 2010

Passaram-se nove dias desde o ano novo, e só vim postar agora como foi a minha “passagem de ano”, pura preguiça,  já que contei previamente como seria (e foi né) meu natal, justo escrever sobre o ano novo.

Fiquei só em casa, minha mãe trabalha para o governo então trabalhou durante o “ano novo”, irmã e pai viajaram. Infeliz foi minha decisão de ir para rua ver os fogos de artifícios nada atrativos, e ouvir latidos de cães com medo dos fogos, de certo uma das piores idéias, ok depois dos amgs ficarem “atrasando” a minha fuga para casa, na qual cheguei e fiquei na interwebs “conversando” e twittando algo que não foi produtivo, principalmente por só ter ido dormir as 7 da matina e fui acordado para ir obrigatoriamente para um sítio, com um puta tédio fui zombieando me arrumar e ir pro carro resmungando sono, claro só dormi 2h esse dia :(

Pior foi ao chegar no sítio, tipo fazer aquela cara de feliz forçada e esquecer do sono, desejando feliz natal acanhado pra pessoas que nem se quer conhecia, depois entrar n'água e ter de brincar ali, tá em momentos dessa parte foi boa, mas a questão é que me fodi legal, cortei meu pé (que ficou com uma farpa de pau nele) e depois de tanto correr nas brincadeiras que me chamavam só para “inteirar/formar o time” cheguei em casa super cansado com os pés arranhados e cortados, sedento por descanso, mas a farpa tinha que ser tirada para não ocasionar uma infecção, tive que ser cortado (por minha mãe, é) para tirar a farpa, e esse foi meu primeiro de janeiro.
E o de você, foi melhor?

Leia Mais…